Precisamente de hoje a uma semana… vai haver lágrimas!

Hoje de manhã, no caminho, comecei a pensar que de hoje a uma semana é o nosso último dia de trabalho antes das férias. Pensei no quão ansiosa estou por isso, e que já falta tão pouco. Por outro lado, lembrei-me que quando regressar ao trabalho, as minhas viagens matinais vão passar a ser feitas sozinha. Já não vou ter que mudar a música que passa no rádio, apanhar o dou-dou que caiu, ralhar porque alguém se está a portar mal no banco de trás… A verdade é que a companhia que me fazem vai fazer-me falta. Vou passar a ter silêncio dentro do carro, mas vou sentir a falta do movimento e da alegria que os miúdos trazem!

Tomada pela pré-nostalgia, disse-lhes:
“Eu – Filhos já viram que estamos quase de férias?
C – Xim mamã! Um dia nós vamos de férias! 
Eu – E está quase! Já só falta 1 semana!
D – Mamã, e depois, vamos pá excola nova!
Eu – Sim, depois vão para a escola nova!
C – Vamos com o Tio Gabriel mamã!
Eu – Sim querida, vão com o Tio Gabriel! Vão os três para a escola nova!
E depois a mamã vai começar a vir para o trabalho sózinha!
D – Puquê mamã! 
Eu – Filho porque a creche nova fica perto da nossa casa e a mamã tem que vir trabalhar na mesma para aqui.
D – Ahhhhh
C – Mamã, depois eu vou pá excola nova, tu vais tabalhá e depois vamos pa casa e eu vou dá muitos miminhos a ti!”
Fiquei de lágrimas nos olhos, a pensar no quanto vou sentir a falta destas nossas conversas matinais. Desta presença deles no meu início de dia, sempre com tantas perguntas e com diálogos que me fazem rir. Por isso fiquei ainda com mais certeza, de que de hoje a uma semana, quando sair de casa pelo última vez com eles, quando os deixar na creche de manhã pela última vez, e quando os for lá buscar pela última vez… não vai ser fácil! Foram 2 anos e 8 meses da vida deles ali. Com pessoas que na maioria conheço à muitos anos, outras que passei a conhecer, e a quem confiei diariamente a vida dos meus filhos sem hesitar. Pessoas que sei que os tratam bem, que os mimam, que os protegem. Pessoas de quem eles aprenderam a gostar, de quem sentem falta quando estão  fora, por quem perguntam aos fins de semana. E vai ser difícil deixar isso tudo!

One Comment

  • Vanda Carvalho

    Como te entendo!
    Passei 6 anos a ter também esse tipo de companhia matinal! Foram bons tempos, que deixam saudade.
    Eles crescem, as nossas rotinas mudam e a Vida avança!
    É bom sentir saudades dos momentos que nos colocam sorrisos no rosto!

    Uma nova face da vossa Vida!

    E tudo vai correr bem!

    Beijocas!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *